sábado, 12 de março de 2016

Crescer...


Quando eu era pequena, só tinha tempo para uma coisa: brincar!
Tudo era divertido, tudo me fazia rir, mesmo nos acontecimentos que não eram tão bons, eu acabava encontrando alguma coisa para achar graça!
O que ninguém me falou, é que conforme a gente cresce a brincadeira vai deixando de fazer parte da nossa vida.

Eu sei...eu sou otimista, sou divertida, quase sempre estou de bom humor e continuo procurando achar graça em tudo. Mas não como antigamente.
Essa criança da foto podia brincar tanto por causa de um detalhe: ela não precisava ter responsabilidades.

Conforme a gente cresce, essa tal responsabilidade vai grudando na gente e impedindo que passemos os dias a brincar.
Ainda mais quando deixamos de ser responsáveis apenas pelas nossas vidas, e passamos a responder por vidas que geramos e dependem de nós.

Lembra quando sua mãe fazia alguma coisa que você não gostava e ela dizia que quando você fosse mãe, você entenderia?
Acho que era sobre isso que estavam falando! Afinal, elas também tiveram que crescer.
Fazer escolhas, tomar decisões, criar regras, tudo aquilo que precisamos fazer não só por nós, mas também pelos nossos filhos é muito difícil!
Como saber que tomamos a melhor decisão? Como proceder para não causar traumas, decepções ou até mesmo sufocar quem eles são?
Por outro lado, como não amar demais? Como não superproteger, não coloca-los numa bolha bem longe da maldade e violência desse mundo?
É, realmente não é mais uma brincadeira…

Eu cresci e meus filhos estão crescendo também.
Enquanto eles eram pequenos, minhas noites mal dormidas se davam por me chamarem, seja pra ir ao banheiro, por estarem com fome, frio ou terem tido um sonho ruim. 
Hoje, eles dormem a noite todinha, mas eu rolo de um lado pro outro, me perguntando como será o futuro deles, se estou sendo uma boa mãe, se peguei pesado ou leve demais no dia anterior.

Tem dias em que eu até invejo as mães irresponsáveis...mas eu não consigo ser assim! Acho que devem ter dias em que elas me invejem também...

O que eu sei, que aprendi conforme fui "crescendo" e adquirindo a tal responsabilidade, é que há muito mais coisas que não podemos controlar, do que as que podemos. 
É como se houvesse um mundo invisível ao nosso redor, que influencia muita coisa e nos deixa (por vezes) impotentes. 

E mesmo que essa teoria venha a justificar alguma coisa, ela não justifica tudo. Continuamos tendo o nosso papel, nossas responsabilidades.
Não é fácil. Muita gente desejaria ter uma vara de condão pra resolver tudo como nos contos de fada...mas nesse mundo, isso não é possível, precisamos crescer.

Eu estou tentando. Estou fazendo o melhor que eu posso! Tentando dar conta de tudo que minha vida adulta implica, mas tentando também não esquecer de que um dia eu fui aquela criança.

Se você também se sente assim, temos muita coisa em comum! Continuemos a crescer!!

Super beijo,

Alyne

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoraria saber sua opiniāo! Escreva aqui!