terça-feira, 27 de outubro de 2015

Dívidas: livre-se delas!

Olá estrelas da Alyne, tudo bem?
Hoje falarei com vocês sobre endividamento.
Segundo o CNC (Conselho Nacional do Comércio) em maio deste ano, o endividamento das famílias brasileiras ultrapassou 65%, dos quais quase 8% declararam não ter como quitá-las. 
Sendo assim selecionei algumas dicas para passarmos ilesos desse problema em momentos de crise. 


       1.  Evite o endividamento, não deixe que as parcelas de financiamento/empréstimos ultrapassem 30% da sua renda familiar mensal; acompanhe através da planilha de gastos já demonstrada no post anterior.

    2. Se está pensando em contratar um financiamento para aquisição de um bem, primeiro analise a real necessidade neste momento, caso positivo, busque linhas específicas, pois nessas modalidades as taxas geralmente são mais atrativas devido a garantia real.

   3. Fuja do Cheque Especial, trata-se de uma modalidade com taxa de juros extremamente alta em que, caso seja necessário a utilização, é bom lembrar que na hora do crédito do seu salário ou de depósito em conta corrente, o banco cobrirá primeiramente o saldo devedor deixando disponível apenas a diferença, forçando uma nova utilização para que você possa arcar com suas despesas mensais, entrando num circulo vicioso mês a mês. 
Caso você se encontre nessa situação é importante procurar o banco e parcelar seu saldo devedor, porque além de uma redução significativa da taxa de juros, você estará mensalmente amortizando seu saldo devedor.

      4.  Cartão de Crédito atualmente é a melhor linha de crédito para o nosso dia a dia, no entanto saber utilizá-lo de forma correta também fará diferença para não se endividar; pagar integralmente a fatura é a forma mais correta da utilização do produto; Compras parceladas é necessário controlar o total das compras já parceladas anteriormente, pois na fatura virá o total de todas as compras.
Evite o pagamento mínimo da fatura, pois a diferença ou o saldo remanescente virá na próxima fatura acrescidos dos juros mais altos do mercado. Nesse caso verifique junto ao banco uma linha de crédito (ex: crédito consignado ou crédito pessoal) com taxas menores para a liquidação total da fatura. 

O importante de tudo isso é ter o controle de todas as despesas e evitar o consumo por impulso fazendo sempre essas 3 perguntinhas básicas: 
  1. O que comprar?
  2. Porque comprar?
  3. Para que comprar? 
Se as  respostas forem positivas é importante ter a certeza de duas perguntas: 
  1. O preço é justo? 
  2. Posso pagar?

Caso você se encontre endividado, procure o credor para negociar pois ele estará sempre disposto a receber, mesmo que parcelado. Nesse momento não assuma compromissos de parcelas superior a 30% de sua renda mensal familiar, pois corre o risco de você não conseguir honrar. 
Hoje existem projetos direcionados para orientação financeira familiar, o próprio Banco Central em seu portal (www.bcb.gov.br), possui ferramentas disponíveis para que o cidadão possa usufruir desse serviço e também aplicativos nos smartphone com finalidade de controle de despesas.




Alyne, atendendo a solicitação de uma seguidora que pediu orientações de como economizar no supermercado, segue minhas dicas:

- Fazer a lista do que é necessário comprar;
- Evite passear pelas gôndolas e experimentar "lançamentos";
- Não vá com fome, para evitar compras desnecessárias;
- Não caia na tentação das "promoções", siga a sua lista!!!;
- Evite levar as crianças;
- Compare sempre o preço do produto de acordo com a quantidade (os supermercados são obrigados a informar em suas etiquetas o valor cobrado pelo produto de acordo com a quantidade, ex: um produto de 500ml  da marca "x" e outro de 300ml da marca "y" ou da mesma marca que seja, o preço na etiqueta com o valor do litro facilita a identificaçao do menor preço). 
-Geralmente os produtos em maior quantidade, possuem preços mais baratos, pois o custo da embalagem pode encarecer o produto (nesse caso a dica é fracionar em casa).
- Opte por comprar produtos disponibilizados em refis.
-Se possível, procure ir ao supermercado nos dias de promoção; geralmente fazem promoções a cada dia da semana; ex: segunda e terça: frutas e verduras; quarta e quinta: carnes/peixes e frangos e assim por diante. 
Espero ter ajudado e boas compras!!!

Grande abraço e até a próxima!!

Márcia Rocha
Colunista de Economia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoraria saber sua opiniāo! Escreva aqui!