domingo, 26 de abril de 2015

Organização de guarda-roupas


Guarda-roupas costumam ser um verdadeiro terror pra mulherada, né? A gente nunca acha que tem roupa suficiente, vive comprando, mas na hora de sair, sempre reclama que não tem nada!
Sabia que a organização pode te ajudar e muito nisso?
Esse é um assunto bem vasto, por isso terei que dividir em partes. Hoje vou abordar a parte das roupas comuns, camisas, camisetas e blusas. Muitas vezes a gente esquece das roupas que tem, porque vamos acumulando, amontoando tudo nos pequenos espaços, e realmente a sensação é de que não temos o suficiente, quando na verdade, temos é demais.
Pra começar a dar um jeito nessa situação, o primeiro passo que precisamos seguir é fazer uma seleção.
Separar tudo que temos em 3 categorias:

  1. Verde - roupa boa, que te serve e que você gosta.
  2. Amarelo - roupa que você gosta, mas precisa de conserto ou ajustes.
  3. Vermelho - roupa que não usa, não serve pra você, mas pode ir para a doação, ou também aquelas que precisam ir pro lixo mesmo.
Vá separando na cama ou numa mesa (caso fique mais confortável à sua coluna) as peças de acordo com essas categorias.
É muito importante ser sincero nessa hora. Se você tem uma roupa que adora, mas não usa há mais de 1 ano, pode colocar no monte de doações, porque a chance de você voltar a usá-la é quase nula. Assim como aquelas que você gosta, mas estão precisando de um botão, um ajuste. Agora é hora de resolver isso.
Depois de separar tudo, chegou a hora de organizá-las dentro do seu guarda-roupas.
A maioria das pessoas tem armários comprados prontos (que não foram feitos sob medida) e que ainda divide com pelo menos outra pessoa, o marido por exemplo.
Então não adianta achar que ele ficará como os closets de revistas, porque isso é impossível!
Antes de reclamar, agradeça pelo que você tem e trabalhe dentro das suas possibilidades.
Se você dispõe de pouco espaço, não é por isso que ele ficará bagunçado. Vou dar umas dicas fáceis, pra que todo mundo consiga organizar e facilitar o dia a dia, e também na hora de sair pra passear (que é quando mais demoramos para achar algo bom).

1 - Ordem das peças:
- As roupas que você usa mais (ou gosta mais) devem ficar mais acessíveis. Isso no caso de você guardá-las em nichos ou gavetas.
- No cabideiro, acomode apenas 1 peça por cabide. Isso facilita a visualização e também conserva a roupa mais alinhada.
- Guarde na sequência das cores claras para as mais escuras, dentro da mesma categoria. Ex: camisas de manga comprida das mais claras para as mais escuras.
- Peças curtas, médias e longas.

2 - Roupas dobradas:
- Se você usar nichos, guarde as peças sobradas por tipo. Ex: blusas de lã por baixo e de linha por cima.
- Camisetas podem ser empilhadas por cores, guardadas dobradas ou enroladas. Escolha aquilo que for mais prático para a sua realidade. Ex:

gaveta infantil

3 - Dicas gerais:

- Camisas sociais sempre dever ter 3 botões abotoados: os 2 primeiros e 1 no meio. Isso ajuda que ela fique esticadinha e não crie vincos.
- Camisetas pólo também dever ficar abotoadas, para não deformar a gola.
- Não use capas plásticas naquelas roupas que você usa pouco. Utilize sacos de TNT ou tunil, que deixam a roupa "respirar", senão pode criar mofo.
- Utilize cabides da mesma cor e formato, sempre virados para o mesmo lado, para ficar mais bonito e organizado.
- Não tente colocar mais roupas do que cabe em seu espaço. É melhor ter menos roupas, mas que você use-as.
Se seu guarda-roupas tem muitas prateleiras, você pode usar também caixas organizadoras. Normalmente as de papelão são mais baratas e há diversos modelos lindos no mercado. Nelas você pode guardar as peças que não usa sempre, como cintos, lenços, echarpes, blusas de frio. Assim também não sobrecarrega a parte onde ficam os cabides.


Tenho certeza de que seguindo essas dicas simples, os guarda-roupas de vocês ficarão muito mais acessíveis e organizados!
Grande beijo,

Alyne





segunda-feira, 20 de abril de 2015

Tristeza ou depressão?


Oi gente! É com muita alegria, que hoje apresento pra vocês nossa segunda convidada especial aqui no blog: a Dra Tereza Lobão. Após o texto, tem mais informações sobre ela. Mas já adianto que é uma psicóloga que eu gosto demais. Pedi para ela fazer um texto sobre as diferenças entre tristeza e depressão.
Esse é um tema muito presente no universo feminino. Com todas nossas alterações hormonais, aumento das responsabilidades, já que muitas de nós enfrentam 3 ou 4 jornadas de trabalho diferentes no dia, e também a cobrança para sermos quase "perfeitas", muitas mulheres se queixam e ficam na dúvida se o que sentem é depressão ou tristeza. 
Vamos aprender juntas??



Tristeza ou depressão: fonte google



Tristeza ou depressão?


Nos dias atuais, em que se exige que estejamos sempre alegres, de bem com a vida, é muito comum ao menor sinal de tristeza você ouvi de algum conhecido “Você está deprimido”! Acontece que, estar deprimido, ou com depressão é diferente de estar triste ou com sentimento de tristeza.

A tristeza é um estado afetivo inerente à condição humana. É um sentimento de pesar psíquico, em que a pessoa experimenta uma dor relacionada a algo que se perdeu, ou a alguma situação que se apresenta diferente daquilo que foi esperado. Ela é um sentimento momentâneo e até saudável do ponto de vista existencial. Pois em momentos de tristeza nos recolhemos e elaboramos melhor perdas e frustrações nos tornando mais fortes emocionalmente. Segundo alguns pesquisadores a tristeza dura em média até dois meses, passado esse período, e essa avaliação é muito individual, podemos pensar em um quadro de depressão.

A depressão por sua vez é um estado patológico (doença afetiva) em que a tristeza se cronificou, digamos assim. As pessoas deprimidas ou com depressão sentem-se apáticas, sem prazer pela vida, sem energia para exercer as atividades normais do dia a dia. Além de apresentar modificações na memória, dificuldade de concentração, imagem negativa de si mesmo e da vida de um modo geral, alterações no sono e no apetite.

A depressão, diferente da tristeza não passa em branco! O que confere um comprometimento na vida da pessoa afetada. Nesses casos é necessário passar por uma avaliação psiquiátrica para diagnóstico correto e alivio dos sintomas por meio do uso de antidepressivos. Aliado ao tratamento medicamentoso a pessoa deprimida necessita de acompanhamento psicológico. É por meio desse cuidado a atenção profissional (do psicólogo) que a pessoa entra em contato com o seu eu existencial, buscando ressignificar os danos causados pelo estado depressivo, bem como reestruturação da vida como um todo. Mesmo porque, e aqui vai um alerta, a depressão pode afetar os relacionamentos interpessoais e a vida profissional de modo significativo ocasionando maiores danos à vida pessoal, bem como levar a pessoa a ter pensamentos de morte e/ou desejo de tirar a própria vida.

Se a sua “tristeza” apresenta um comprometimento a sua vida e ao seu dia a dia de modo significativo é preciso pensar em buscar ajuda profissional! Somente um psiquiatra e um psicólogo podem avaliar se você está com depressão ou experienciando um momento de tristeza apenas. 

Tereza Raquel Lobão Psicóloga
CRP 19/2059
Tereza Lobão


Meu nome é Tereza Raquel Lobão, nascida no estado de Sergipe, sou formada em psicologia há 4 anos, casada e mãe de duas adolescentes uma de 13 anos (Luana Lyn) e outra de 19 (Júlia Lyn).
Sou apaixonada pelo ser humano e tudo o que se relaciona a ele. Desde a minha adolescência era a ouvinte/conselheira da roda de amigas. Amava escutar e conhecer as diferentes formas de ser humano!
Hoje, transformei a minha paixão em profissão. Trabalho como psicóloga na Casa da Poesia, um lugarzinho charmoso que cuida do ser humano por meio da ciência e da arte e Coordeno um Centro que cuida de pessoas que sofreram violência pessoal ou social, desde crianças até a terceira idade.
Ser psicóloga é um ofício solitário (pois trabalhamos sozinhas e sem poder dividir nada com ninguém), mas extremamente significativo pra mim. Amo o que faço, estudo com muita fome de aprender e poder aliviar as mazelas da vida humana. Por outro lado sou filha, mãe, mulher, profissional, estudante, amiga e humana como cada um de vocês. 

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Organização e o serviço doméstico

Muita gente reclama que não tem tempo para organizar. Diz que vive correndo e que organizar demora e dá muito trabalho.
Mas você já parou pra pensar que é exatamente o contrário? Cerca de 40% do nosso trabalho doméstico é exatamente arrumar, guardar e descartar a bagunça. Logo, um ambiente organizado, reduz e muito o tempo que levamos para executar essas tarefas.
Algumas casas vivem tão bagunçadas, que parecem ser menores do que realmente são. Isso é porque a bagunça impede que visualizemos o ambiente como um todo, seus detalhes e também as opções que ele nos dá.
A organização gera bem estar em todas as áreas da nossa vida. Uma casa organizada reflete paz e tranquilidade, todo mundo que convive nesse ambiente sente isso. E a otimização do tempo gasto com limpeza, já que não é necessário ficar perdendo tempo arrumando tudo todo dia, resulta em mais tempo que você pode passar curtindo sua família.
Pra quem está acostumando com a desorganização, pode ser um pouco difícil no começo, mas com o tempo torna-se um hábito e tudo flui naturalmente.
Se você tem pouco tempo por dia, comece devagar e vá indo cômodo por cômodo. Não queira fazer tudo de uma vez. Você se cansará e acabará desistindo. O ideal é ir incluindo na sua rotina diária de tarefas, e aos poucos tudo estará organizado.
Por exemplo, se hoje é dia de limpar a cozinha, comece pelos armários de mantimentos, limpando, organizando por tipo e deixando os alimentos mais usados à frente, para facilitar na hora de pegar. Não precisa tirar tudo de todos os armários, espalhar tudo pela cozinha e fazer aquela revolução! Vá uma portinha por vez, prestando atenção ao fato de que a organização é para te ajudar, otimizar seu tempo e da sua família.
Crie uma organização exclusiva, que atenda suas necessidades. Nem sempre dispomos de espaço ou utensílios como vemos nas revistas. Trabalhe com o que você tem e com o que pode comprar.
Vou escrever aqui os 7 passos da organização eficaz. Eles servem para todos os ambientes. São simples, guias para que você identifique o que precisa ser feito:

  1. Planejamento: onde guardar cada objeto, quem usará o espaço, o que se usa com mais ou menos frequência.
  2. Descarte: fundamental para o bom andamento da organização. É a hora de doar, consertar ou jogar fora aquilo que não se usa mais ou está em condições ruins.
  3. Limpeza: aproveite para fazer uma limpeza no espaço, assim a nova organização terá um aspecto melhor e livre de sujeira e pó.
  4. Categorização: separar os itens por categoria.
  5. Identificação: etiquetar gavetas, armários e caixas, para facilitar na hora da procura.
  6. Manutenção: tirou uma peça do lugar, procure guardar novamente onde estava, assim a organização se manterá por muito mais tempo.
  7. Revisão: às vezes, algumas mudanças não foram bem adaptadas, ou até mesmo com o passar do tempo e a utilização do espaço, talvez você precise ajeitar alguns itens, renovar peças, e voltar ao item 1.

exemplo de organização foto do site Pernambuco construtora.




Algumas dessas dicas eu extraí da apostila de organização Simples Assim (simplesassim.srv.br).
Espero que ajude bastante vocês. Em breve, mais dicas!
grande beijo,

Alyne



domingo, 12 de abril de 2015

Como acabar com o mofo.

Muita gente tem problemas com mofo em casa. E sofre tentando resolver, usa diversos produtos e nada!
Exemplo de guarda-roupas tomado pelo mofo.






Gravei um vídeo com dicas super fáceis para ajudá-los a acabar com ele!!
É só clicar no play:


Não se esqueçam de cadastrar seus e-mails aqui no blog, na lateral direita desse post. Assim vocês receberão sempre um aviso das postagens.
E inscrevam-se também no meu canal do Youtube e dêem um joinha pra mim rsrs.
Grande beijo e até o próximo!

Alyne


terça-feira, 7 de abril de 2015

Tudo sobre Sapólio Radium Cremoso

Esse é um dos meus produtos de limpeza favoritos! Ele é barato, eficiente, dura bastante e serve para várias coisas.
Quando eu era criança, lembro da minha mãe esfregando o vaso sanitário com Sapólio, mas naquela época só existia o pó.  Mesmo assim ficava super limpinho e cheiroso.
Faz uns 7 anos que descobri a versão cremosa e deste então, não fico sem.
Meus favoritos são o Original e o Lavanda (azul e roxo). E a melhor parte é que, diferente da versão em pó, essa versão cremosa não risca.
Hoje quero contar pra vocês tudo que sei sobre esse produto e também várias formas de usá-lo.
O Sapólio Radium Cremoso é um limpador poderoso em creme. Ele contém abrasivo em sua fórmula, que é o responsável por polir as superfícies e dar brilho, porém, também pode desgastar, dependendo do material do objeto a ser limpo. Por isso é fundamental ler o rótulo, seguir as instruções e usar nas superfícies e materiais recomendados, que são:

  • Aço inox;
  • Esmaltados;
  • Fórmicas;
  • Cromados;
  • Louças sanitárias;
  • Box;
  • Banheira;
  • Pia;
  • Torneira;
  • Louça;
  • Talheres;
  • Fogão;

Sapólio Radium Cremoso Clássico



Fora essas superfícies, que constam no rótulo, já usei e uso em várias outras, todas com sucesso!
Para limpar azulejos e piso do banheiro, que geralmente acumulam gordura, é excelente! Basta esfregar com esponja ou palha de aço que sai tudo.
Também já testei em tênis de couro (daqueles brancos que as crianças costumam usar para ir à escola) e limpa super bem! Basta passar com um pano e depois retirar bem com um pano úmido, finalizando com um seco.
Em móveis de MDF, principalmente armários da cozinha que ficam engordurados, uso e adoro o resultado! Também em grelhas, portas e corrimão pintados com tinta esmalte, exaustor, paredes manchadas ou riscadas, louças do banheiro manchadas por água, até em mala de viagem eu já usei.
O modo de usar é sempre o mesmo: uso uma esponja ou pano úmido, coloco um pouco de Sapólio, esfrego no local a ser limpo e depois enxáguo bem. Se não puder enxaguar, vou passando pano úmido até sair todo o produto e depois seco.
Essa é a parte mais importante, que vocês não podem esquecer: Ele não pode permanecer muito tempo em contato com nenhuma superfície. Não pode secar no local. Por isso tem que retirar completamente após a limpeza. Porque senão ele pode manchar, amarelar ou desgastar o objeto que você queria limpar.
Hoje já existem até outras versões cremosas específicas para determinados materiais. Na hora da compra, fique de olho, leia os rótulos e compre aquele que realmente irá te ajudar na limpeza.
Grande beijo,

Alyne