segunda-feira, 23 de março de 2015

Os 4 pilares da disciplina infantil parte 2

Continuando o assunto de ontem, o que mais vemos hoje em dia são pais preocupados em dar o melhor aos seus filhos, mas que nem sempre sabem como discipliná-los.
Nunca é tarde para tentarmos ensinar ou aprender algo, mas é claro que quanto mais cedo começarmos, melhores resultados teremos.
Ontem falei sobre dois dos 4 pilares da disciplina: limites e consequências. Hoje abordarei os outros dois.


3) CONSISTÊNCIA:

Consistência significa ter persistência na determinação de regras. O mais difícil de implementar na disciplina é o pensamento de que sempre que uma ordem é dada, espera-se que seja cumprida. Isso não é "às vezes", mas sempre, e deve ser enfatizado à criança em cada ocasião.
Muitos pais reclamam assim ao darem uma bronca em seus filhos: "eu já te disse mil vezes!". Sim, é exatamente isso! Isso é consistência na aplicação de normas. Crianças precisam ser constantemente lembradas das regras da casa.
Não adianta você estabelecer uma regra se não estiver disposto a cobrá-la e lembrá-la quantas vezes forem necessárias até que seus filhos a internalizem. 
Não é só no dia que você está disposto a dar ordens, mas todos os dias. Se você não quer repetir mil vezes a mesma coisa, melhor nem começar a disciplinar seu filho. Porque você só fará uma confusão na cabeça dele! Já pensou como fica a mente dele? "Será que hoje preciso obedecer?" "Será que a regra ainda está valendo ou não?"
A consistência não se estabelece se nos dias em que não estamos dispostos a dar ordens, simplesmente dispensarmos as crianças da obrigação de obedecer. Se formos disciplinar dessa maneira, é melhor não impor nada. Se não pudermos fazer cumprir as normas, é mais indicado ficarmos calados.
Seus filhos precisam sentir firmeza em suas palavras e atos, precisam ver que são consistentes! Quando os pais são inconsistentes, as mensagens que os filhos recebem tornam-se imprevisíveis e eles ficam, literalmente, sem rumo.


4) CLAREZA:

Clareza é fazer exatamente aquilo que se diz.
Para que a disciplina seja efetiva, ela deve ser clara. Se você disser ou indicar algo aos seus filhos, é importante que haja de acordo com isso.
Se dissermos "vamos", a dica é nos prepararmos, de fato, para fazer isso. Não ficarmos sentados.
Desde muito cedo, as crianças percebem intuitivamente quando algo não é claro. Se os pais não forem precisos nas mensagens transmitidas, estarão indicando pistas de comportamentos confusas e ambíguas, e é nelas que os filhos irão se guiar.
Se você prometeu algo, cumpra. Se a regra da casa indica alguma consequência ruim para descumprimento, faça-a valer. Seus filhos precisam confiar em você e saber que aquilo que você fala será cumprido sempre.
Por isso não crie regras impossíveis de serem cumpridas, ou totalmente fora da realidade da casa. A verdadeira educação é transmitida de maneira clara e nítida, e absorvida de maneira gradativa e natural.
***

Espero que estas duas postagens ajudem vocês na difícil mas, maravilhosa tarefa de educar e formar seres humanos bem ajustados.
Me baseei num livro de bolso, que tenho há mais de 10 anos e sempre releio para reafirmar minhas convicções enquanto educadora. Se chama "Disciplina sim, mas com amor" escrito por Annie Rebbelo de Acevedo.







Um grande beijo,

Alyne

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoraria saber sua opiniāo! Escreva aqui!